Siga-nos nas Redes:

Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva

Notícias


No Brasil, os cânceres de intestino, estômago e de boca são juntos o terceiro tipo mais incidente em homens, enquanto o de intestino é o segundo mais frequente entre as mulheres. Apenas o câncer do cólon e do reto tem 36 mil novos casos por ano no país, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Apesar de preveníveis, o diagnóstico tardio prejudica o tratamento desses tumores do trato digestivo, alertam médicos especialistas da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED).

Segundo a Dr. Fauze Maluf Filho, presidente da Comissão Científica da SOBED, a melhora da qualidade de exames, como a endoscopia e a colonoscopia, aumenta a chance de detectar lesões malignas no início: “Nós temos que melhorar a qualidade dos exames que realizamos. Fazendo isso, nós mudamos a história natural dessa doença, porque na fase inicial a doença é curável pelo exame ou por uma cirurgia”.

Os cânceres do aparelho digestivo foram o tema do XIII Simpósio Internacional SOBED, que aconteceu em Campinas (SP), de 30 de maio e 1º de junho. Durante o evento, endoscopistas, gastroenterologistas e coloproctologistas, de todas as regiões do Brasil e de outros oito países, discutiram sobre o diagnóstico e o tratamento da doença em órgãos como o estômago, esôfago, cólon e reto.

De acordo com o Dr. Jairo Silva Alves, presidente da SOBED, o evento foi fundamental para aprofundar o conhecimento dos especialistas: “Nos aspectos diagnósticos e, reafirmando o papel da endoscopia intervencionista, abordamos os principais métodos terapêuticos curativos ou paliativos, endoscópicos”. 

Mutirão de Colonoscopia

No dia 29 de maio, em celebração ao Dia Mundial da Saúde Digestiva, um Mutirão de 12 médicos especialistas da SOBED abriu a programação do Simpósio Internacional. A ação, feita em parceria com a equipe do Centro de Diagnóstico de Doenças do Aparelho Digestivo (Gastrocentro), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), realizou a colonoscopia em 30 mulheres e 18 homens, pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).

O Dr. Lix Alfredo Reis de Oliveira, membro da Comissão de Ações Sociais da SOBED, explica que até 80% dos casos de câncer de cólon e reto poderiam ser evitados com a prevenção, rastreando tumores em fase inicial: “Ao todo identificamos 46 pólipos (tumores benignos) em 50% dos pacientes examinados, com idade média de 56 anos”, disse ele, se referindo ao Mutirão que teve como objetivo chamar atenção para a importância da prevenção do câncer colorretal e da colonoscopia para detecção precoce da doença.

“É importante a população ter acesso à realização desses exames. Queremos sensibilizar colegas clínicos, cirurgiões e médicos de outras especialidades para que encaminhem os pacientes a partir de 40 anos para fazer a endoscopia e a partir de 45 anos, para fazer a colonoscopia, como prevenção”, complementa Maluf Filho.


Para o Dr. Marcelo Averbach, presidente da Comissão de Ações Sociais da Sociedade, a ação também chama atenção do governo e da sociedade em geral para a importância desse rastreamento: “É uma bandeira da SOBED, pois visamos à implantação de uma política pública”.