Projeto pioneiro fará mutirão de rastreamento do câncer colorretal em Alagoas

postado 24/03/2021

Fornecer de forma gratuita rastreamento e tratamento preventivo para o câncer colorretal (CCR). Este é o objetivo da ação pioneira capitaneada pela Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED) e que pretende levar à população do município de Pilar (AL) uma força-tarefa de prevenção à doença. Voltada a pacientes entre 50 e 70 anos de idade, a iniciativa integra o conjunto de atividades da campanha Março Azul, que marca o mês de conscientização sobre o segundo tipo de neoplasia mais frequente na população masculina e feminina.

Segundo o presidente da SOBED, Ricardo Anuar Dib, o projeto, que será desenvolvido durante a última semana deste mês na cidade alagoana, prioriza justamente a faixa etária que apresenta maior probabilidade de desenvolver a doença. “Na oportunidade, os moradores serão convidados a realizar o chamado exame de sangue oculto, um teste simples e eficaz, com capacidade de rastrear o câncer colorretal, mesmo quando o indivíduo ainda não apresenta sintomas”

Conforme complementa o presidente da Comissão de Ações Sociais da SOBED e coordenador da campanha Março Azul, Marcelo Averbach, a expectativa é alcançar cerca de quatro mil pessoas do município. Além disso, a cada paciente que apresentar suspeita diagnóstica será recomendada a realização do exame de colonoscopia, procedimento de captura de imagem por meio do qual é possível constatar e tratar alterações no intestino ou reto.

“Na última semana de março, uma equipe de especialistas da SOBED estará presente na cidade, no Hospital Nossa Senhora de Lourdes, realizando o exame nos pacientes previamente triados. Através da colonoscopia, é possível visualizar se realmente existem alterações e removê-las se ainda estão na fase inicial ou realizar biópsias caso sejam lesões consideradas avançadas. É um método de intervenção precoce, que evita o desenvolvimento do câncer colorretal”, explica o médico.

Para a implantação do projeto em Pilar (AL), a SOBED conta com a parceria da Secretaria Municipal de Saúde, além do apoio das empresas Labormed/Fujinon e Boston Scientific.

PREVALÊNCIA – Apesar de pouco divulgado, segundo informações atualizadas do Ministério da Saúde, o câncer que atinge o intestino grosso ou o reto é o segundo tipo que mais mata homens e mulheres no Brasil. Somente em 2020, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) estimou o surgimento de 20.540 casos novos de câncer colorretal em homens e de outros 20.470 em mulheres. No geral, aproximadamente 85% dos casos são diagnosticados em fase avançada. 

Na avaliação do vice-presidente da SOBED, Herberth Toledo, os dados revelam um cenário alarmante, que exige amplo engajamento do poder público, dos profissionais de saúde e de toda a sociedade em torno do problema.

“É fundamental investir cada vez mais em ações práticas e no esclarecimento da população. Para os próximos anos, está prevista a elevação das taxas de mortalidade relacionadas ao CCR, principalmente por causa do processo de envelhecimento em curso no Brasil. A SOBED tem reforçado a importância das consultas regulares ao médico e da conscientização sobre o tema, uma vez que o câncer colorretal, se diagnosticado precocemente, tem tratamento e cura”, conclui.